Deputado propõe alteração do nome da estação Japão-Liberdade

O deputado estadual José Américo (PT-SP), propôs, por meio do Projeto de Lei nº 71/2020, alterar o nome da estação Japão-Liberdade, da linha 1-Azul do Metrô de São Paulo.

A estação passaria a se chamar “Japão-Liberdade-África”. Na justificativa do projeto, o parlamentar lembrou que o nome do bairro onde a estação está localizada é herança de um homem negro: Francisco José das Chagas, um soldado do exército brasileiro do século XIX, e ressaltou que o local foi abrigo de escravos e ex-escravos no século 19.


O deputado diz que a única história contada do bairro até então era de uma “migração japonesa intensa que faz com que a cidade tenha a maior colônia fora do Japão” e que “a memória se tornou objeto de uma disputa desnecessária entre dois povos que ajudaram muito para o crescimento do Brasil”.

Ainda em sua justificativa, José Américo lembra que Francisco José das Chagas, também conhecido como “Chaguinhas” tem fama de milagreiro e atrai fiéis para o bairro da Liberdade, apesar de não ser reconhecido como santo pela Igreja Católica.

O parlamentar lembra que a Capela dos Aflitos e a Igreja Santa Cruz das Almas dos Enforcados “se relacionam diretamente” com a história de Chagas, que foi morto no século XIX. “Os edifícios contam inclusive com placas de agradecimento no seu interior”.

Chagas foi executado em 20 de setembro de 1821, após ser condenado por, ao lado de Joaquim José Cotindiba, liderar um motim contra o comando do batalhão por causa de salários atrasados, aumento do soldo e igualdade no tratamento de soldados brasileiros e portugueses. 


De acordo com José Américo, o escritor e jornalista Abílio Ferreira, articulador do movimento de preservação do Sítio Arqueológico dos Aflitos, lembra que a comunidade negra está em uma disputa que começou com a mudança do nome da estação Liberdade para Japão Liberdade. “Há uma tentativa de manter a hegemonia japonesa no bairro da Liberdade”.

Em sua conclusão, o parlamentar diz que “é inequívoca a importância de homenagem ao povo negro, além de sua inconteste participação no bairro que atualmente contempla o nome de uma estação metroviária, que faz jus à inclusão de seu povo.

A estação Liberdade passou a se chamar Japão-Liberdade em julho de 2018, após decreto do então governador Márcio França. A mudança de nome foi realizada após pedido do empresário Hirofumi Ikesaki, dono da rede de cosméticos Ikesaki, que alegou na época ter investido R$ 200 mil em obras de revitalização da Praça da Liberdade, por conta das comemorações dos 110 anos da imigração japonesa no Brasil.

Para que o Projeto do deputado José Américo seja aprovado, deve ser votado e aprovado pela Assembleia Legislativa e depois ser sancionado pelo governador João Doria (PSDB).

Enfim, Gostou da matéria?

Então, siga o Via Coletivo no canal do YouTube, em nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram. Assim você poderá acompanhar tudo sobre Trens, Metrô, Ônibus, Uber, Aviação e outras matérias relacionadas a Mobilidade Urbana e Transportes.

Veja também:

David Molina

David Molina

Paulistano, budista, fotógrafo, entusiasta do transporte público, editor dos perfis CPTM da Depressão e Metrô SP Depressivo no Facebook.

Deixe uma resposta