fbpx

Usuária da CPTM relata novo caso de percevejos em trem

Uma usuária da CPTM procurou a equipe do Via Coletivo informando que sua irmã foi picada por percevejos em um trem da linha 12-Safira.

O fato ocorreu ontem (19). “Minha irmã acabou de chegar em casa e me contou que estava sentindo uma coceira nas pernas, levantou do banco e viu alguns bichinhos se escondendo por baixo do tecido do banco”, relatou a usuária.

O primeiro relato sobre a presença dos insetos foi divulgado no Facebook no dia 11, por uma outra usuária da linha.

A usuária relatou ter sido picada pelos insetos em um trem da série 2000. “Sentei no banco do trem e minha perna começou a coçar. Começou a penicar mais. Só que, aumentou mais e não aguentei! Levantei do trem e quando eu olhei com mais atenção para o banco olha o que tinha. Cheio desses bichinhos escondidos. Bem pequenos”, relatou.

A página São Paulo da Depressão repercutiu o caso, e a CPTM informou que iria “reforçar a dedetização e limpeza já realizadas periodicamente nas composições”.

Além disso, a companhia afirmou que iria “apurar o número do carro” da composição que aparece nas imagens para que fosse retirada imediatamente de circulação e os procedimentos necessários fossem realizados.

Sobre os percevejos

Percevejos como os que foram relatados na CPTM são insetos sem asas, de corpos achatados, de coloração marrom avermelhada, que costumam ficar agrupados. Além disso, se reproduzem rapidamente e podem migrar de um local para outro facilmente.

Esses insetos geralmente se alimentam do sangue de humanos. Porém, caso a infestação estiver em níveis alarmantes, também podem picar animais de estimação.

A infestação pode ocorrer em transportes coletivos, como ônibus, metrô e trens. Os insetos podem pegar “carona” em malas, peças de roupas ou outros itens que as pessoas levam para casa vindos de áreas infestadas.

Até mesmo usuários do metrô de Nova York já relataram terem visto e sido picados por percevejos nos trens da cidade. Em janeiro desse ano, trens no Queens sofreram atrasos devido a avistamentos de percevejos na torre de controle, de acordo com o MTA, empresa pública responsável pelo transporte público no estado norte-americano.

Em residências, os insetos são frequentemente encontrados em costuras de colchões, rachaduras e cavidades de estrados de camas.

A picada dos insetos não transmite qualquer doença. Costumam picar múltiplas vezes, formando uma linha.

Pessoas mais sensíveis podem desenvolver uma forte reação às picadas, que costumam coçar muito e ficarem com aparência semelhante às picadas de mosquitos e podem coçar por até duas semanas.

Enfim, Gostou da matéria?

Então, siga o Via Coletivo no canal do YouTube, em nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram. Desse modo você poderá acompanhar tudo sobre Trens, Metrô, Ônibus, Uber, Aviação, bem como outras matérias relacionadas a Mobilidade Urbana e Transportes

David Molina

David Molina

Paulistano, budista, fotógrafo, entusiasta do transporte público, editor dos perfis CPTM da Depressão e Metrô SP Depressivo no Facebook.

Deixe uma resposta