fbpx

Governo define apps de transporte como serviços essenciais

De acordo decreto do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), publicado na última sexta-feira (20) no Diário Oficial da União, aplicativos de transporte como Uber, 99 e Cabify são classificados como serviços essenciais.

De acordo com o decreto, os serviços precisam funcionar durante a pandemia de coronavírus (COVID-19). Além disso, o texto estabelece que internet e telecomunicações também são serviços essenciais.


Focando no transporte e na mobilidade urbana, o texto do decreto nº 10.282 estabelece como serviços públicos e essenciais:

-Transporte intermunicipal, interestadual e internacional de passageiros e o transporte de passageiros por táxi ou aplicativo.

-Transporte e entrega de cargas em geral.

Além disso, profissionais das categorias citadas no texto terão livre circulação em caso de quarentena.


“É vedada a restrição à circulação de trabalhadores que possa afetar o funcionamento de serviços públicos e atividades essenciais, e de cargas de qualquer espécie que possam acarretar desabastecimento de gêneros necessários à população”, diz o decreto.

Tornando essas categorias como serviços essenciais, o governo impede que os serviços sofram interferências dos governos estaduais.

Você pode ler todo o decreto clicando aqui.

Enfim, Gostou da matéria?

Então, siga o Via Coletivo no canal do YouTube, em nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram. Desse modo você poderá acompanhar tudo sobre Trens, Metrô, Ônibus, Uber, Aviação, bem como outras matérias relacionadas a Mobilidade Urbana e Transportes.

David Molina

David Molina

Paulistano, budista, fotógrafo, entusiasta do transporte público, editor dos perfis CPTM da Depressão e Metrô SP Depressivo no Facebook.

Deixe uma resposta