Em SP, praças de pedágio aceitam pagamento com cartão

Onze praças de pedágio de São Paulo começaram a adotar máquinas de cartões. São sete praças no sistema Anchieta e Imigrantes e quatro nas rodovias Ayrton Senna e Carvalho Pinto.

Pagamentos de valores abaixo de R$ 50,00 podem ser realizados por meio de dispositivos que possuem sensores NFC, como cartões de débito e crédito e até em relógios e pulseiras, sem custos adicionais ao motorista.


A solução, que é amplamente utilizada no comércio, é inédita nos pedágios de São Paulo e foi autorizada em caráter de teste pela Agência de Transportes do Estado de São Paulo (Artesp).

O novo recurso está disponível somente aos dispositivos que também possuem essa tecnologia.

Ao passar pelas cabines identificadas com o símbolo universal de aproximação (semelhante ao de internet wi-fi), que também deve constar no dispositivo pagador.

O operador de pedágio então irá digitar o valor a ser pago e o motorista vai apenas aproximar o seu cartão da máquina de débito e crédito.

O NFC transmite uma espécie de código que somente a maquininha e o cartão têm acesso e conclui a operação.


O sistema começou a ser implantado na quinta (30), e protege o funcionário da concessionária e os motoristas ao evitar o contato físico.

De acordo com Fernando Ferreira, gerente de atendimento ao usuário da Ecovias, “a medida está numa fase piloto, mas em função de tecnologia e segurança, nas praças com valor igual ou menor do que 50 reais”.

“É importante que o motorista se certifique com o banco se o cartão do banco tem essa tecnologia disponível”, disse.

No Grupo EcoRodovias, o pagamento por meio de cartão de débito e crédito e também pela tecnologia NFC já estava disponível nas unidades Eco101, Eco050, Eco135, Ecovia, Ecocataratas e Ecosul que atuam nos estados do Espírito Santo, Minas Gerais, Paraná e Rio Grande do Sul.

Enfim, Gostou da matéria?

Então, siga o Via Coletivo no canal do YouTube, em nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram. Desse modo você poderá acompanhar tudo sobre Trens, Metrô, Ônibus, Uber, Aviação, bem como outras matérias relacionadas a Mobilidade Urbana e Transportes.

David Molina

David Molina

Paulistano, budista, fotógrafo, entusiasta do transporte público, editor dos perfis CPTM da Depressão e Metrô SP Depressivo no Facebook.

Deixe uma resposta