fbpx

Crise sanitária causa déficit de R$ 2,6 bilhões nos Sistemas Metroferroviários

Os sistemas metroferroviários brasileiros acumulam um déficit de receita tarifária da ordem de R$ 2,6 bilhões devido a atual crise sanitária enfrentada. É o que aponta uma estimativa da Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos (ANPTrilhos).

Em março, somente na segunda quinzena do mês, a redução de receita foi de R$ 500 milhões, enquanto em abril o déficit registrado foi de R$ 1,1 bilhão e em maio em torno de R$ 1,0 bilhão.


A ANPtrilhos informou que desde o decreto da pandemia, anunciado há aproximadamente 80 dias, a demanda de passageiros nos sistemas sobre trilhos tem oscilado em torno de 30%. A comparação foi feita em relação ao volume de passageiros normalmente transportados pelos sistemas.

“O setor metroferroviário entende que a situação é uma questão de saúde pública e que há necessidade do isolamento social para prevenção da contaminação, mas há a preocupação em relação ao equilíbrio econômico-financeiro do orçamento público e das Parcerias Público-Privadas. O transporte é um serviço essencial para a população e os operadores necessitam de um suporte governamental para que não haja comprometimento do atendimento à população que precisa se deslocar, ainda mais com a retomada gradual das atividades econômicas nas cidades”, enfatizou Joubert Flores, Presidente do Conselho da ANPTrilhos.

Além disso, a Associação também informou que está mantendo o contato com os órgãos governamentais para apresentar os pleitos sugeridos pelo setor para a manutenção da prestação dos serviços de transporte de passageiros sobre trilhos e do quadro de colaboradores.


Confira abaixo as medidas sugeridas:
  • Linha de crédito para fazer frente ao capital de giro das empresas do setor;
  • Redução dos encargos setoriais devido ao status de calamidade;
  • Isenção de ICMS sobre energia elétrica para o setor;
  • Diferimento no pagamento de tributos federais;
  • Redução de custos previdenciários;
  • Reabertura do prazo para a opção pelo regime da contribuição substitutiva à contribuição previdenciária sobre folha de salários.
  • Aprovação célere dos projetos de investimento para fins do financiamento por meio de debêntures incentivadas (Lei nº12.431 e Portaria MC nº 532/17;
Enfim, Gostou da matéria?

Então, siga o Via Coletivo no canal do YouTube, em nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram. Desse modo, você poderá acompanhar tudo sobre Trens, Metrô, Ônibus, Uber, Aviação, bem como outras matérias relacionadas a Mobilidade Urbana e Transportes.

Aílton Donato

Cristão, paulistano, técnico em manutenção automotiva, empreendedor digital, criador dos perfis CPTM da Depressão e Metrô SP Depressivo nas redes sociais e do site Via Coletivo. Sonoplasta nas horas vagas e apaixonado por Mobilidade Urbana, em especial pelo sistema sobre trilhos.