fbpx

Metrô de SP avalia desligar escadas rolantes e reduzir limpeza

O Metrô de São Paulo avalia desligar escadas rolantes, reduzir contratos de limpeza e fechar banheiros públicos. A informação é do Jornal Estadão.

De acordo com o jornal, a companhia já renegociou contrato de energia, que move os trens, que é a maior conta da empresa.


No primeiro semestre, o Metrô teve redução de R$ 730 milhões de receita. Em 2019, a receita da companhia foi de R$ 1,54 bilhão. Já neste ano, com a queda de 65% na demanda de passageiros, a receita foi de R$ 812 milhões.

A operação acumula prejuízo superior a R$ 365 milhões. O Metrô já informou que irá reduzir em 10% os salários dos funcionários. Os trabalhadores prometem uma paralisação na próxima terça (28).

A Secretaria Estadual de Transportes Metropolitanos (STM) tenta um aporte para a operação da empresa, mas ainda não obteve auxílio da Secretaria Estadual do Planejamento.

Enfim, Gostou da matéria?

Então, siga o Via Coletivo no canal do YouTube, em nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram. Desse modo você poderá acompanhar tudo sobre Trens, Metrô, Ônibus, Uber, Aviação, bem como outras matérias relacionadas a Mobilidade Urbana e Transportes.

David Molina

David Molina

Paulistano, budista, fotógrafo, entusiasta do transporte público, editor dos perfis CPTM da Depressão e Metrô SP Depressivo no Facebook.