fbpx

Metrô de SP adquire VLEs e Drone para melhorar segurança e operações

O Metrô de São Paulo informou nesta sexta-feira, dia 7 de agosto, que adquiriu novos e modernos equipamentos para aperfeiçoar o atendimento aos passageiros e segurança da operação da companhia.

Entre os equipamentos está o VLE (Veículo Leve Elétrico) que é uma espécie de patinete. Ele é utilizado por mais de mil departamentos de polícia de todo o mundo.


A companhia informou também que os agentes de segurança foram capacitados para utilizar os VLEs. Os equipamentos serão utilizados nas estações Sé e Luz, as duas mais movimentadas do Metrô de São Paulo.

A maior vantagem do equipamento é a agilidade de deslocamento que ele possibilitará aos agentes de segurança.

Ele possibilitará a cobertura de uma área cinco vezes maior em muito menos tempo. Outro benefício é que os agentes ficarão elevados, com uma visão melhor dos locais e sendo vistos entre os passageiros com mais facilidade, ampliando também a percepção de segurança presente.

Ainda segundo informações do Metrô, foram adquiridos dois VLEs. Os equipamentos são movidos a bateria e tem autonomia de 8 horas ou cerca de 38 km em uso constante.

A ideia é que os VLEs sejam usados preferencialmente fora dos horários de pico, onde há menos circulação de passageiros, de forma a não atrapalhar também a circulação das pessoas, principalmente as de mobilidade reduzida.

Drone

Além disso, o Metrô de São Paulo também adquiriu um drone que vai auxiliar no patrulhamento do sistema. Com ele, será possível ampliar a área de monitoramento, especialmente em trechos abertos, como na Linha 3-Vermelha, evitando e coibindo invasões à via.


O drone também poderá ser utilizado em eventos com grande concentração de pessoas, como em jogos de futebol. Ele poderá transmitir imagens sobre a movimentação do público e a velocidade do fluxo que deve entrar na estação, facilitando a adoção de estratégias de operação.

Para a utilização, os agentes de segurança do Metrô foram capacitados por uma empresa habilitada pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC).

Exoesqueletos

A companhia também informou que está licitando a aquisição de 300 exoesqueletos que servirão também para atender grandes eventos.

Os exoesqueletos são armaduras feitas em policarbonato de alta resistência e devem ser usados principalmente em manifestações. o equipamento de segurança deverá vir com kit completo, incluindo capacete, para proteção de todo o corpo do agente de segurança em situações de fortes pancadas, cortes e queimaduras.

Os novos instrumentos se juntam às 350 câmeras portáteis que o Metrô comprou para utilizar nos uniformes dos agentes de segurança. As novas câmeras, chamadas de “Body Cam” já começaram a ser usadas e até o final de outubro devem estar disponíveis para uso dos seguranças de todas as estações da companhia.

Enfim, Gostou da matéria?

Então, siga o Via Coletivo no canal do YouTube, em nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram. Desse modo, você poderá acompanhar tudo sobre Trens, Metrô, Ônibus, Uber, Aviação, bem como outras matérias relacionadas a Mobilidade Urbana e Transportes.

Aílton Donato

Cristão, paulistano, técnico em manutenção automotiva, empreendedor digital, criador dos perfis CPTM da Depressão e Metrô SP Depressivo nas redes sociais e do site Via Coletivo. Sonoplasta nas horas vagas e apaixonado por Mobilidade Urbana, em especial pelo sistema sobre trilhos.