fbpx

Bruno Covas pode enfrentar CPI por suposto aumento na tarifa do Vale-Transporte

Um suposto aumento promovido pela SPTrans nos valores da tarifa do vale-transporte continua causando bastante repercussão e pode acabar gerando a abertura de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) na Câmara Municipal da cidade de São Paulo.

Toda polêmica começou no dia 1º de setembro, quando alguns passageiros começaram a reclamar nas redes sociais que os validadores de bilhete único começaram a cobrar o valor de R$ 4,83 nas catracas das estações da CPTM e do Metrô e também nos validadores dos ônibus municipais. Antes, o valor cobrado era o de R$ 4,40.


Procurada, a SPTrans negou o aumento no valor da tarifa. A empresa alegou que a quantia já é cobrada desde janeiro na modalidade vale-transporte, porém os validadores estavam desatualizados.

A proposta de abertura da CPI foi feita pelo vereador Police Neto do PSD. O parlamenta alega que é importante apurar se as divergências nos valores da tarifa causaram algum prejuízo aos trabalhadores ou aos cofres públicos.

Já o prefeito Bruno Covas não se opôs a abertura do inquérito e disse que apoia qualquer tipo de investigação e fiscalização feita pela Câmara Municipal de São Paulo.


Veja também:

(*) Com informações da Jovem Pan

Enfim, Gostou da matéria?

Então, siga o Via Coletivo no canal do YouTube, em nossas redes sociais como o Facebook, Twitter e Instagram. Desse modo você poderá acompanhar tudo sobre Trens, Metrô, Ônibus, Uber, Aviação, bem como outras matérias relacionadas a Mobilidade Urbana e Transportes.

Aílton Donato

Cristão, paulistano, técnico em manutenção automotiva, empreendedor digital, criador dos perfis CPTM da Depressão e Metrô SP Depressivo nas redes sociais e do site Via Coletivo. Sonoplasta nas horas vagas e apaixonado por Mobilidade Urbana, em especial pelo sistema sobre trilhos.