fbpx

Tatuzões da futura linha 6-Laranja do Metrô de SP devem começar a operar em 2021

Os dois tatuzões que escavarão os túneis da futura linha 6-Laranja do Metrô de São Paulo devem entrar em operação em 2021. As informações são do Portal Exame.

Segundo o portal, as supermáquinas de 120 metros de comprimento começam a ser montadas já no 1º trimestre do próximo ano. Elas partirão do poço de ventilação Tietê (ao lado da Marginal), cada um em uma direção, no 4º trimestre.


Importados da China, os tatuzões tem 120 metros de comprimento e mais de dez metros de diâmetro. Enquanto um é preparado para escavar rocha, o outro trabalha em solos mais arenosos.

Além de escavarem e enviarem os sedimentos para o lado de fora, os “shields” (como são chamados em inglês) também instalam os anéis de concreto que revestem os túneis. Partes dessas supermáquinas já estão no pátio do poço Tietê, só aguardando o momento de serem montadas para entrarem em ação.

Sobre a linha 6-Laranja

A construção do ramal foi anunciada em 2008 pelo então governador José Serra do PSDB. O tucano prometeu algo jamais realizado na história de São Paulo, entregar uma linha de Metrô em apenas 2 anos, com o início previsto para 2010 e conclusão prometida para 2012.

Porém, para honrar o velho costume da classe política de prometer e não cumprir, as obras só foram iniciadas em 2015, já na gestão do também tucano Geraldo Alckmin, com a promessa de conclusão para 2020.

No entanto, em 2016, um ano após o início das obras, o consórcio responsável, a Move São Paulo, alegou dificuldades em seguir com a construção por não conseguir obter do BNDS um empréstimo de R$ 5,5 bilhões.

O consórcio era formado pelas empresas Odebrecht, Queiroz Galvão e UTC. Construtoras famosas do grande público por estarem diretamente ligadas a casos de corrupção e envolvimentos em inquéritos da Operação Lava-Jato.


Esses envolvimentos nebulosos, como corrupção e desvios de dinheiro público, dificultaram a obtenção do empréstimo junto ao banco federal. Por essa falta de recursos, as obras da Linha 6-Laranja foram paralisadas.

Em novembro de 2019, conforme informou o Via Coletivo, a construtora espanhola Acciona fechou um acordo para comprar do Consórcio Move SP a concessão de construção da linha.

O contrato de cessão entre as duas partes foi assinado no início deste ano. A concessão contempla as obras civis, sistemas, fornecimento de material rodante, operação, conservação, manutenção e expansão da Linha 6-Laranja do Metrô.

A Acciona terá até 2025 para concluir as obras e mais 19 anos para operar e realizar a exploração comercial da linha. No entanto, esse tempo pode ser descontado caso a construtora espanhola atrase o cronograma das obras.

O projeto da linha é de 15 estações, com 15,3 km de extensão. A linha 6-Laranja irá fazer conexão com as linhas 1-Azul e 4-Amarela do Metrô e linhas 7-Rubi e 8-Diamante da CPTM. A expectativa é que a linha transporte cerca de 633 mil passageiros nos dias uteis.

Enfim, Gostou da matéria?

Então, siga o Via Coletivo no canal do YouTube, em nossas redes sociais como o Facebook, Twitter e Instagram. Desse modo você poderá acompanhar tudo sobre Trens, Metrô, Ônibus, Uber, Aviação, bem como outras matérias relacionadas a Mobilidade Urbana e Transporte.

Aílton Donato

Cristão, paulistano, técnico em manutenção automotiva, empreendedor digital, criador dos perfis CPTM da Depressão e Metrô SP Depressivo nas redes sociais e do site Via Coletivo. Sonoplasta nas horas vagas e apaixonado por Mobilidade Urbana, em especial pelo sistema sobre trilhos.