fbpx

Achados e Perdidos do Metrô recolheu mais de 54 mil objetos em 2020

Em meio a pandemia e a mudança de hábitos da população, a Central de Achados e Perdidos (CAP), serviço com mais de 45 anos de atendimento ao público, registrou em 2020 um total de 54.078 objetos perdidos no Metrô. Desse montante, graças ao empenho do setor e a um sistema informatizado, que propicia aos funcionários consultar, de qualquer estação, os objetos cadastrados com identificação, 22,92% dos itens perdidos, ou seja, 12.544 objetos, foram devolvidos para os respectivos proprietários.

Em 2020, as cinco estações do Metrô que contabilizaram maior registro de cadastros de objetos perdidos foram: Corinthians/Itaquera, Sé, Jabaquara, Palmeiras/Barra Funda e Santana.  Entre os itens mais deixados pelos passageiros estão os cartões de plástico (bancários e de bilhete único), os documentos (RG, CNH) e pertences pessoais como carteiras, celulares, óculos, chaves, roupas e material escolar.


Regras para consulta e devolução

O passageiro que perdeu algo no Metrô poderá consultar o serviço de “Achados e Perdidos” pelo site (www.metro.sp.gov.br), pelo telefone 0800-770 7722 (ligação gratuita), da Central de Informações do Metrô, todos os dias, das 5h00 às 00h00, quando os objetos estiverem identificados pelo nome. Outra alternativa para consultar objetos identificados é solicitar a busca a um funcionário nas estações do Metrô ou, se o passageiro preferir,  procurar diretamente o guichê de atendimento da Central de Achados e Perdidos, na estação Sé, de segunda a sexta-feira, exceto feriados, das 7 às 20h.

Já quando o objeto a ser resgatado não possuir identificação pelo nome, o atendimento necessariamente terá que ocorrer na Central de Achados e Perdidos, na estação Sé. Nesses casos, a identificação destes objetos é feita por meio das características fornecidas pelo passageiro, bem como o local, dia e hora aproximada em que ocorreu a perda.

Todos os objetos recolhidos nas estações das linhas 1-Azul, 2-Verde, 3-Vermelha e 15-Prata, operadas pelo Metrô, e os da Linha 4-Amarela, que é operada pela ViaQuatro, são encaminhados para a Sé e permanecem no local para devolução por 60 dias. Após esse período, os objetos em bom estado e valores em dinheiro não devolvidos são encaminhados ao Fundo Social de Solidariedade do Estado de São Paulo. Já os documentos são destinados aos respectivos órgãos emissores.

Enfim, Gostou da matéria?

Então, siga o Via Coletivo em nosso canal do YouTube , em nossas redes sociais como o Facebook , Twitter e Instagram ou em nossos grupos no WhatsApp e Telegram . Desse modo, você pode acompanhar tudo sobre Trens, Metrô, Ônibus, Aviação, bem como outras coisas relacionadas a Mobilidade Urbana e Transportes.

Letícia Castilho

Letícia Castilho

Paulistana, blogueira, empreendedora digital e amante da mobilidade urbana que procura sempre levar informações relevantes e de qualidade ao público que acompanha o Via Coletivo diretamente pelo site ou através dos perfis nas redes sociais.