fbpx

Tatuzão inicia perfuração do túnel da Linha 6-Laranja

Mais um importante passo foi dado no avanço das obras da Linha 6-Laranja de metrô de São Paulo. A primeira tuneladora ou TBM, popularmente conhecida como tatuzão, começou hoje a escavação do túnel em direção sul. O equipamento fará a perfuração do solo e deve percorrer cerca de dez quilômetros nos próximos meses, contemplando dez estações, entre Santa Marina e São Joaquim, partindo do VSE (poço de ventilação e saída de emergência) Tietê, até o VSE Felício dos Santos.

“Essa obra foi um desafio. Quando assumimos o Governo, tínhamos 30 grandes obras paradas no estado. Encontramos uma solução jurídica e o resultado está aqui. Quando se quer, resumimos todas as dificuldades a uma expressão: vamos fazer!”, destacou o Governador de São Paulo, João Doria. “As obras estão dentro do prazo estimado e o tatuzão acelera muito esse processo. Essa obra vai reduzir de 1h30 para 23 minutos o tempo de percurso. Veja a diferença na qualidade de vida”, completou.


“O início da operação do tatuzão é um momento emblemático nas obras da Linha 6-Laranja, considerado o maior empreendimento em infraestrutura na América Latina. Esse dia não seria possível se não fosse o compromisso da STM e do Governo do Estado de São Paulo de não ter obras paradas nessa gestão, de gerar mais empregos e um transporte de qualidade para a população de São Paulo”, afirma Paulo Galli, secretário dos Transportes Metropolitanos.

Hoje também foi realizado o batismo do equipamento com um nome feminino, seguindo a tradição do segmento de túneis. O nome escolhido, Maria Leopoldina, foi sugerido pelo Governador do Estado de São Paulo, João Doria, em homenagem à Imperatriz Leopoldina, esposa de Dom Pedro I e figura histórica conhecida por ter sido grande influenciadora das negociações que levaram à independência do Brasil, que neste ano celebrou seu bicentenário.

“As obras estão avançando de forma acelerada para que esse importante ramal metroferroviário seja entregue integralmente dentro do cronograma”, diz Nelson Bossolan, CEO da Linha Universidade, responsável pela operação do ramal por 19 anos assim que as obras forem entregues em 2025.

Pesando 2 mil toneladas, cada tatuzão (TBM) possui diâmetro de 10,61 metros e extensão de 109 metros. Sua capacidade de perfuração é de aproximadamente 12 a 15 metros por dia.

Para a sua operação são necessárias aproximadamente 50 pessoas, divididas em três turnos de trabalho. A máquina possui refeitório, cabine de enfermagem, esteira rolante para a retirada do material escavado, além de cabine de comando e equipamentos auxiliares.

Além dos trabalhadores que atuam nos tatuzões, também há equipes responsáveis pelo monitoramento do terreno e dos parâmetros dos dois TBMs que irão trabalhar 365 dias por ano, 24 horas por dia.


A tuneladora que fará a escavação no sentido inverso (norte) deve começar o processo ainda no primeiro semestre de 2022 e percorrerá 5,3 quilômetros em rocha.

Atualmente, a Linha 6-Laranja já conta com mais de 450 metros de túnel construídos pelo método NATM – o “Novo Método Austríaco de Túneis” – técnica de construção de túneis sem a utilização de uma tuneladora.

As obras, realizadas pelo braço de construção da ACCIONA, líder global em infraestruturas resilientes e energias renováveis, já contam com 19 frentes de trabalho simultâneas e mais de 5 mil trabalhadores. Até o final do projeto serão gerados 9 mil empregos diretos e indiretos, auxiliando na retomada da economia brasileira em um cenário pós pandêmico.

Fábrica de Aduelas

Na última terça-feira (14), foram retomadas as operações da Fábrica de Aduelas, que produz os segmentos de concreto pré-moldado utilizados para a sustentação dos túneis subterrâneos da Linha 6-Laranja de metrô de São Paulo. Com o recomeço das atividades, serão fabricadas as mais de 60 mil aduelas que serão utilizadas até o final da construção da linha.

Um dos grandes diferenciais da fábrica, que contará com mais de 120 colaboradores, é a grande presença feminina na força de trabalho e na liderança, já que cerca de 70% da equipe será formada por mulheres. Parte delas ainda não possuía experiência no setor ou em suas funções. Elas foram selecionadas pelo programa “Mulheres da Construção” da ACCIONA, que além de contratar, também oferece capacitação profissional certificada em parceria com o Senai e a Escola da Movimentação. Alguns dos postos de trabalho já ocupados por mulheres na linha de produção da Fábrica de Aduelas são: Auxiliares de Produção, Ponte Rolante, Movimentação de Carga, Ajudantes de Pedreiras, além de funções de liderança, como Responsável de Produção, Engenheiras ou Técnicas.

Enfim, Gostou da matéria?

Então, siga o Via Coletivo no canal do YouTube , em nossas redes sociais como o Facebook , Twitter e Instagram . Desse modo, você pode acompanhar tudo sobre Trens, Metrô, Ônibus, Uber, Aviação, bem como outras coisas relacionadas a Mobilidade Urbana e Transportes.

Letícia Castilho

Letícia Castilho

Paulistana, blogueira, empreendedora digital e amante da mobilidade urbana que procura sempre levar informações relevantes e de qualidade ao público que acompanha o Via Coletivo diretamente pelo site ou através dos perfis nas redes sociais.